13 de novembro de 2012

[Resenha] Uma garota, um grupo "aterrorizante" e uma aventura incrível

Olá pessoal, hoje a resenha vai ser a escolhida na votação, do livro Almakia - A Vilashi e os Dragões!

Sinopse: A Vilashi e os Dragões é o primeiro livro da série nacional Almakia, criada por Lhaisa Andria. Em um mundo onde existem pessoas com capacidades extraordinárias, vivendo em uma sociedade abastada e preconceituosa, desde pequena Garo-lin foi uma garota deslocada: uma vilashi frequentando o exclusivo Instituto de Almaki Dul'Maojin. Mesmo sendo tratada como uma simples e inevitável pedra no caminho dos orgulhosos almakins, engole todo o seu senso de justiça e tem por único objetivo terminar sua educação e voltar à sua vila. Porém, devido a um incidente ela se vê presa pelas circunstâncias, e dali em diante, todo o seu destino está nas mãos dos temidos Dragões de Almakia.

Resenha: O livro começa em um ritmo um pouco lento, meio monótono, talvez pelo fato de toda a explicação da história de Almakia, a descrição dos personagens, mas isso foi apenas o prólogo. Já no primeiro capítulo Lhaisa me conquistou com a história de Garo-lin, uma menina que tinha tudo para ser normal, que era o caso dos vilashi, mas que tinha um almaki de fogo e por isso ela teve a oportunidade de estudar no Instituto de Almaki Dul'Maoijin, no início tudo para Garo-lin era novidade, e ela ficou encantada com o Instituto, mas com o passar do tempo ela percebeu que nada era como parecia. Dentro do Instituto havia um grupo de 5 alunos intitulado Dragões de Almakia, eles eram as pessoas mais importantes do Instituto e estavam destinados a decidir os rumos de Almakia, cada um deles tinha um Almaki de primeira ordem e eles tinham passe livre para qualquer coisa que quisessem fazer, incluindo maltratar os alunos do Instituto.
Eu adorei o modo como Garo-lin foi retratada, apesar de sofrer todo o preconceito na sociedade de Almakia, ela não se rebaixava e permanecia com a cabeça erguida, ela é uma personagem forte e não me pareceu nada como uma personagem forte, muitas vezes eu consegui enxergá-la como uma pessoa real e me identifiquei com algumas atitudes dela.
Garo-lin vivia sozinha no Instituto até a chegada de Kidari, uma Kodorin estabanada e avoada. Kidari foi a personagem com quem eu mais me identifiquei, o jeito dela me lembrou muito o meu porque eu também sou estabanada. E Kidari é uma personagem inocente, doce e carismática, sem dúvida eu me encantei por ela.
A amizade que nasce entre as duas é muito legal, Garo-lin protege Kidari dos insultos que as pessoas do Instituto faziam contra Kidari, mas como nada é perfeito em um dia Kidari fica em apuros, pois uma espécia de gato que ela tinha, chamado Shion, foi capturado pelos Dragões e estava sendo maltratado. Essa parte do livro é o pontapé inicial para toda a história, porque Kidari enfrenta os Dragões para salvar Shion, e Garo-lin entra no meio de tudo quando os Dragões ameaçam a amiga.
Depois disso tudo várias coisas acontecem, Garo-lin sabe que cruzou uma linha (mesmo que imaginária) e que não tinha como ela voltar atrás com o que tinha feito, e agora teria que arcar com as consequências, que demoram a chegar, mas chegam da forma mais inesperada possível. Todo ano alguns estudantes do quinto ano são escolhidos para as Incumbências com alunos do sexto ano, as Incumbências são missões dadas aos Almakins para testar suas habilidade e ajudar no crescimento do estudo.
Garo-lin estava no quinto ano, mas nem imaginava ser escolhida, até porque os alunos que escolheriam os estudantes esse ano eram os Dragões, mas o que parecia impossível aconteceu e Garo-lin é escolhida para ser a protegida do Dragão de Fogo, Krission Dul'Maojin e Kidari foi a escolhida pelo Dragão de Raio, Vinshu Zawhart.
Quando eles partem para a Incumbência, Garo-lin vai apreensiva, enquanto Kidari fica encantada pela oportunidade, mal sabia onde ela havia se metido. A convivência entre Garo-lin e os Dragões é complicadíssima, porque eles a desprezam o tempo todo e a tratam como empregada, mas Garo-lin continua mantendo a sua postura, até um incidente com Krission, que tira tudo dos eixos. Em meio a isso um segredo sobre Kidari é revelado, fazendo todos reavaliarem os conceitos sobre ela.
Com o passar da história a relação entre o grupo vai se modificando, por conta de algo mais sombrio que estava acontecendo em Almakia e eles não tinham conhecimento, Garo-lin passa a enxergar os Dragões de outra forma e muitas mudanças acontecem. Krission é arrogante ao extremo, e fala muitas palavras erradas, mas ainda assim eu gostei do personagem e de tudo o que aconteceu com ele.
"Não é óbvio? - ele voltou para o assento do condutor. - Você está acima de todos os outros." pág 175
O livro é uma introdução a história, um pouco longa, mas cheia de ação e reviravoltas. Sem dúvida Lhaisa escreveu uma história muito boa, com uma trama excelente, personagens sólidos e me deixou ansiosa pelo próximo volume. A Vilashi e os Dragões é uma história que prende a atenção do leitor desde o início e você só consegue parar de ler quando chega ao final, entrou para a minha lista de favoritos e está super recomendado. A capa do livro ficou muito bonita e toda a diagramação também, eu só não gostei muito da revisão, achei muitos erros que me incomodaram e poderiam ser corrigidos. Apesar do preço meio salgado, vale a pena.

Autor: Lhaisa Andria
Editora: MODO
Ano: 2012
Páginas: 360
Valor: R$ 44,00
Avaliação: Favoritado