13 de dezembro de 2012

[Filmes] Rock of Ages - O Filme

Acho que praticamente todo mundo já ouviu Don't Stop Believin', da banda Journey, e que virou tema da série musical Glee, certo? Mas o que dizer de um musical que gira em torno não apenas dessa música, mas de muitas outras música de rock que marcaram a década de 80? E aí que entra Rock of Ages, com um roteiro engraçado, irônico, mas que incrivelmente consegue se sair bem.
Semelhanças entre a música do Journey e o filme não irão faltar, começando com a personagem principal Sherrie (Julianne Hough), a típica "garota do interior" que chega a Los Angeles com o sonho de se tornar uma cantora de sucesso, mas como nada vem fácil, no início do filme sua mala é roubada, com todos os seus discos de vinil. Vale ressaltar que Julianne Hough interpretou bem o papel da personagem, mas deixou a desejar (e muito) no quesito vocal, sua voz é muito fraca e por vezes extremamente irritante.
Para completar a estrofe inicial de Don't Stop Believin' está faltando o "garoto da cidade", o mesmo é apresentado logo de início ajudando Sherrie. Vocês não podem imaginar a minha cara de surpresa quando Drew (Diego Boneta) apareceu, o ator que interpreta o personagem já fez parte da novela mexicana Rebelde sim, eu via a novela e na época era bem fraquinho vocalmente também, e por isso eu já fiquei com o pensamento de que o filme ia ser muito ruim.
Mas me enganei redondamente, Drew é o típico bom moço crescido na cidade, consegue uma vaga de garçonete para Sherrie em uma famosa casa de shows da cidade, o Bourbon, onde ele também trabalha. Para quem pensou que a história gira em torno apenas do casal também se enganou, Bourbon se encontra com problemas financeiros e como medida de salvação do local seu dono, Dennis Dupree (Alec Baldwin), anuncia um show do famoso Stacee Jaxx (Tom Cruise) com a banda Arsenal.
Outra surpresa do filme é a atuação de Tom Cruise, eu considerei impecável, ele incorporou bem o personagem e suas tiradas sarcásticas. Há quem diga que Stacee Jaxx é baseado em Axl Rose, por causa de suas complexidades e problemas.
O filme não é um drama, longe disso, é uma comédia muito boa, e só melhora com a entrada de Catherine Zeta-Jones interpretando Patricia Whitmore, a esposa do prefeito (Bryan Cranston), que considerava o Bourbon um "antro de perdição" para os jovens e estava decidida a fechá-lo. Aplausos de pé para Catherine Zeta-Jones, que deu vida a personagem mais tresloucada do filme, mostrando bem os preconceitos da sociedade e em uma interpretação excelente da música Hit Me With Your Best Shot, de Pat Benatar, como vocês podem conferir aqui.
A história segue bem rápida, com alguns escorregões, mas ainda assim muito boa, e apresenta outros personagens como Lonny (Russell Brand), o ajudante de Dennis, que me pareceu praticamente avulso ao filme, mas fazendo partes das maiores idiotices do filme. Outra atriz que se destaca no filme é Malin Akerman, como Constance Sack, uma jovem repórter que tem todo o perfil de certinha, mas se modifica por inteiro depois de uma entrevista peculiar com Stacee.
A música dos anos 80 é o foco principal do filme, gostei de todas as performances e de como elas foram bem engajadas com os diálogos, ressaltando a música Can't Fight This Feeling, que deu ar a uma das cenas mais hilárias do filme, incluindo declarações de amor e saídas do armário. Outro ponto positivo para as músicas são os mashups, como a incrível I Love Rock and Roll de Joan Jett sendo interpretada junto com Juke Box Hero, da banda Foreigner.
No todo é um filme bom para quem gosta de rock, com uma boa história e interpretações muito boas, e ainda conta com a questão do romance entre Sherrie e Drew, com muitos altos e baixos e seguindo a canção.

Confiram o trailer legendado:



Avaliação do filme: 4/5 (muito bom)