13 de fevereiro de 2013

[Resenha] Não Verás País Nenhum

Olá pessoas lindas do meu coração, quanto tempo não escrevo aqui, não é mesmo? Acontece que tive alguns probleminhas neste último mês de janeiro, acabou sendo minhas férias da faculdade e como fui pra casa em São Paulo, fiquei sem internet. Minhas aulas já começaram, e o tempo está curto, corrido; para terem uma noção tenho prova sexta feira de Matemática 1.
Mas não é sobre minha faculdade que estou aqui para falar, vim para falar sobre livros. E como toda amante da literatura e toda amante de Meio Ambiente, trago para vocês o livro de Ignácio de Layola: Não Verás País Nenhum. Eu estava guardando esta resenha para mais pra frente, ia trazer aqui outro livro, mas como eu adorei a história não resisti e cá estou eu para passar para vocês o que aprendi com essas letras miúdinhas.

Sobre o Autor: 

Natural de Araraquara, interior de São Paulo, Ignácio de Loyola Brandão é jornalista desde os 16 anos. Já publicou 21 livros, entre romances, contos, infanto-juvenis, biografias e histórias de empresas. Já foi traduzido para o alemão, inglês, espanhol, italiano, coreano, húngaro e francês. No final dos anos 80, publicou O Homem que Espalhou o Deserto, também pela Global Editora, um livro infanto-juvenil que mostra claramente sua preocupação com o meio ambiente. Antes de dar a minha versão do livro, vamos a sinopse original.

Sinopse: Ficção que descreve como será a cidade de São Paulo no futuro. O autor conta a vida de Souza, um paulista que vive no meio do caos da cidade, destruída pelos avanços tecnológicos, onde não há água, verde, vida saudável e muito menos liberdade.

Resenha: Como uma estudante de Engenharia Ambiental me interessei pelo tema. Apesar de ter sido escrito na década de 80, o livro aborda um tema muito atual: aquecimento global, desigualdade social, governos tiranos, etc. Isso se tornou muito normal hoje em dia, é o que vemos nos noticiários, jornais, revistas, internet e até mesmo nas conversas do cotidiano. Conforme se avança na leitura, se torna um pouco maçante, cansativo, mas sempre há alguma situação que te intriga e te deixa antenado ou ate mesmo surpreendido, chocado. Os capítulos são separados por episódios como se fosse uma série e são diferenciados por pequenas frases que te indicam mais ou menos o que vai acontecer em seguida. 
O livro apesar do tema e da paisagem que ele apresenta, é um romance. Eu discordo um pouco, pra mim é mais um drama, um livro bem pessimista. Quanto mais você lê, mais você enxerga a falta de esperança dos personagens. Mas não é pra menos, há muita coisa que hoje nós achamos impossível de se acontecer ou até mesmo uma bobagem, o livro mostra perfeitamente o futuro que a humanidade poderá ter se continuar maltratando a natureza.
Apocalíptico? Profético? Talvez não. Realista? Depende do ângulo de vista. Mas uma coisa eu posso dizer, o livro soube retratar bem um futuro miserável. Calma pessoal, não se assustem, não é tão ruim quanto parece! O que quero que entendam é: o homem maltratou a natureza, ela não aguentou. O homem precisou de alimentos, não tinha, então teve que inventar em laboratórios. Precisaram de água, não tinham, tiveram que reciclar urina; e não era qualquer urina, tinha que ser urina boa, testada e tudo mais. Não podem circular por onde querem pois cada pessoa não pode sair do seu próprio bairro. O sol está tão quente e o lixo é tanto que os gases tóxicos inalados pelas pessoas os fazem sofrer mutações genéticas.
O livra alerta para desastre ambiental e social, onde se a sociedade não tiver uma educação adequada "tchau tchau juvenal", ou seja, acabou meio ambiente. E os únicos que tem as instruções corretas e boas condições para ensinar o povo é o governo, e ele não está nem aí e nem aqui, seja nas páginas do livro ou na vida real.
Eu gostei muito dessa experiência. Me fez ver um outro ângulo onde quem não respeita nada tem. Como meu post já está enorme vou me despedindo por aqui. 
Deixem seus comentários aqui em baixo e se tiverem alguma sugestão de livro é só dizer. Digam se gostaram ou não, a opinião de vocês é importante, um big beijo da Tai.

Autor: Ignácio de Loyola Brandão
Editora: Global Editora 
Páginas: 384 
Valor: R$ 51,00
Clique aqui, participe do Top Comentarista e concorra ao novo livro de Cecelia Ahern.