9 de abril de 2013

[Resenha] No limite da "loucura", uma luz no fim do túnel

Estava curiosa pela história de Pat Peoples há tempos, o livro dividiu opiniões, muitos favoritaram e disseram que era o livro da sua vida, outros disseram que o livro era mais do mesmo, jogado na mesma fórmula e que só repercutiu por ter sido transformado em filme, estrelando Jennifer Lawrence e Bradley Cooper.
O motivo principal que me fez querer ler O Lado Bom da Vida foi por conta do marketing envolvido em toda a história, e também por causa do filme que eu já havia assistido. O que eu posso dizer é que, a editora fez um trabalho excelente de divulgação do livro (exceto colocar aquele banner imenso no Skoob, foi poluição visual!).
A confusão mental em que Pat se encontra é ao mesmo tempo perturbadora e cômica, pois existem situações nos livros que me fizeram rir muito, principalmente na parte das resenhas que ele faz dos clássicos, um prato cheio de spoilers. O que eu mais gostei no livro foi que mesmo desacreditado e confuso, Pat decidiu mudar, dando um passo de cada vez em direção a sua, por assim dizer, liberdade.
Ele queria ser alguém melhor do que era antes, mesmo que com motivos um tanto quanto deturpados. Ele enxerga o lado bom das coisas e não desiste facilmente, mas isso me levou a um ponto crítico na leitura: será que realmente existem pessoas assim? Que até mesmo no pior dos seus dias, quando saem atrasado, a torrada queima, está chovendo, passa um carro  e a pessoa toma outro banho, será que até assim elas continuam vendo o lado bom da vida? Esse pra mim foi um erro do autor.
Matthew Quick tentou a todo custo passar para o leitor a linha entre a loucura e a sanidade de Pat, mas ele criou situações que a meu ver, seriam impossíveis de manter (embora isso talvez se deva ao fato de eu ser uma pessoa impulsiva). O livro nos faz refletir sobre o modo que nós agimos em diversas situações, o que me causou um apego a ele e me deu uma vontade de mudar, ser uma pessoa melhor, tentar enxergar o lado bom da vida até mesmo quando tudo parece dar errado.
Juntando-se a isso tudo temos Tiffany, outra que passou por problemas em sua vida pessoal e tenta se rearranjar, mas quem pensa que a história do livro é uma comédia romântica as avessas se enganou, existe muito mais entre Tiffany e Pat do que um simples caso de amor, como é retratado no filme. Ambos são pessoas que passaram por problemas e estão tentando encontrar seu equilíbrio, e Tiffany é super difícil de lidar, isso ficou claro no livro, mesmo assim o laço criado entre eles é forte, é amizade mesmo, um busca apoio no outro, mesmo que de início eles não percebam.
A história mostra a superação dos dois, o convívio entre eles e emociona sim, muito mais do que um livro de romance. Eu gostei muito livro, embora não tenha achado as mil maravilhas pregadas por aí, mas consegui me sentir dentro do livro e tentar buscar o lado bom da vida. Eu recomendo a leitura, mas só se você não se importar com os spoilers de livros clássicos como O Apanhador no Campo de Centeio.


Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Valor: R$16,90 a R$24,90
Avaliação: 4/5