21 de agosto de 2013

[Resenha] O Guardião - Nicholas Sparks

Sinopse: Quarenta dias após a morte de seu marido, Julie Barenson recebe uma encomenda deixada por ele. Dentro da caixa, encontra um filhote de cachorro dinamarquês e um bilhete no qual Jim promete que sempre cuidará dela. Quatro anos mais tarde, Julie já não pode depender apenas da companhia do fiel Singer, o filhotinho que se tornou um cachorro enorme e estabanado. Depois de tanto sofrimento, ela enfim está pronta para voltar a amar, mas seus primeiros encontros não são nada promissores. Até que surge Richard Franklin, um belo e sofisticado engenheiro que a trata como rainha. Julie está animada como havia muito tempo não sentia, mas, por alguma razão, não consegue compartilhar isso com Mike Harris, seu melhor amigo. Ele, por sua vez, é incapaz de esconder o ciúme que sente dela. Quando percebe que o desconforto diante de Mike é causado por um sentimento mais forte que a amizade, Julie se vê dividida entre esses dois homens, ela tem que tomar uma decisão. Só que não pode imaginar que, em vez de lhe trazer felicidade, essa escolha colocará sua vida em perigo. O Guardião contém tudo o que os leitores esperam de um romance de Nicholas Sparks, mas dessa vez ele se reinventa e acrescenta um novo ingrediente à trama: páginas e mais páginas de suspense.

Spoiler.    Adoro romances, e entre os meus favoritos estão os de Nicholas Sparks. Para variar (só que não!) eu gostei do livro mais recente dele, O guardião.
    O livro conta a história de Julie, viúva aos 25 e que mora em Swansboro, Carolina do Norte. Jim, seu falecido marido, lhe deixa como presente de natal uma carta, na qual lhe pedia que encontrasse alguém que a fizesse feliz, e um filhote de cachorro da raça dinamarquês, que ela nomeia Singer, e que durante seu anos de luto foi uma companhia constante, assim como seus amigos: Mabel, a dona do salão onde Julie trabalha, Henry e Emma, e o irmão de Henry, Mike que, além de ser seu melhor amigo, foi o melhor amigo de Jim, e isso é um problema.
     Após quatro anos sozinha, Julie percebe que está preparada para encontrar alguém, e seguir o conselho de Jim, então vai a alguns encontros frustrados até o dia em que sai com Richard Franklin. Richard é um engenheiro educado e romântico e, dentre todos os candidatos, o mais normal. Acontece que Julie não sente nada por ela; ela até tenta, mas apesar das qualidades de Richard, ela não consegue ver a coisa indo pra frente. Já com Mike...

 "Richard tinha todas as qualidades de um homem adequado, mas mesmo agora, depois de quatro encontros românticos e de terem passado muito tempo juntos, subitamente Julie percebeu que ele não a balançava."

    Era óbvio que Mike era apaixonado por Julie,não desde sempre, mas depois da morte de Jim os dois se aproximaram ainda mais e acabou acontecendo, até ela percebeu. Julie, apesar de ás vezes se imaginar com Mike, achava que seria uma traição a Jim, mas com o tempo ela não resiste e os dois finalmente se acertam. É aí que tudo desanda...

 "Mas, com o luar entrando pela janela e mariposas batendo na vidraça, Mike tinha sido não só a única pessoa em quem pensou antes de adormecer como também a primeira em quem pensou pela manhã, ao abrir os olhos."

    Richard, apesar de parecer, não é normal. Ele não aceita muito bem o fim de seu (muito breve) relacionamento com Julie e começa a persegui-lá. No início Julie não tem certeza de que é, de fato, Richard que está a perseguindo, mas no fundo ela sabia, e Singer, que nunca foi com a cara dele, também sabia.

"Todos, e isso inclui você, se comportam melhor no início de um relacionamento. Às vezes pequenas peculiaridades acabam se tornando importantes e a única vantagem das mulheres é sua intuição."
   
    Sinceramente, a história me lembrou um pouco Um Porto Seguro (também de Sparks). O cara que persegue a mocinha, o novo namorado apaixonado e, é claro, a cidadezinha na Carolina do Norte que é marca do autor. Mas O guardião é mais sinistro. Richard assusta, e muito. Já Mike, para um cara de 34, parece meio imaturo no início, mas depois ele se mostra um adulto de verdade. Julie é ótima, e assim como Katie (Um Porto Seguro) ela luta para ficar com o cara que ama. Sem dúvida nenhuma, Singer é o melhor personagem. Julie e ele tem uma relação divertida que eu não lembro de ter visto em nenhum outro livro do gênero e que é muito bonita.

 "Também se sentia grata por Singer. Jim tinha feito a coisa certa ao comprar o cão para ela. De certo modo, o cachorro lhe possibilitara seguir em frente. "

    Nesse livro, o foco não é o romance em si, mas a obsessão do vilão da vez, não é só uma história de um amor ideal, tem uma história bem diferente e instigante que faz com que a gente queira ler o livro todo de uma vez só. No início a narrativa é feita pela visão de Julie, Mike e Richard, mas com o aprofundamento da história outras perspectivas são necessárias para o entendimento da sucessão dos fatos e foram inseridas nos momentos apropriados. Então, se a pergunta é: O livro é bom? A resposta é sim! E além do romance gostoso de ler, o livro traz outra marca do autor: A capacidade de fazer você chorar litros!

 "De onde estiver, cuidarei de você. Serei seu anjo da guarda, querida. Pode contar comigo para protegê-la."