12 de novembro de 2013

[Resenha] Laços de Sangue (Bloodlines #1) - Richelle Mead

Título Original: Bloodlines
Autor(a): Richelle Mead
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765152
Páginas: 430
Tradutor: Ana Ban
Ano: 2013
Skoob
Avaliação: 5/5 ♥

Sydney Sage é uma alquimista, mas seu trabalho não é nada fácil, afinal, ela faz parte de um grupo seleto que sabe que os vampiros não existem somente na ficção. O seu trabalho é manter em segredo a existência dos vampiros, ao mesmo tempo em que tenta encobrir possíveis descobertas por parte dos humanos.
Em Laços de Sangue, primeiro volume do spin-off, “Bloodlines”, de Academia dos Vampiros, Sydney tem como tarefa proteger a princesa vampira Jill Dragomir. Para isso ela conta com um escalão de ajuda composto por um dampiro, Eddie, além de Adrian Ivashkov. Sydney também terá que aturar um personagem detestável.
Coisas estranhas acontecem na Escola Preparatória Amberwood, em Palm Springs, para onde ela vai com Jill, existe um local aonde alguns alunos vão para se tatuar, o problema com essas tatuagens é que elas não são bem o que parecem ser. Sydney terá que descobrir o responsável, ao mesmo tempo em que luta com seus sentimentos (e pensamentos) contraditórios.
A autora da série, Richelle Mead, faz aniversário hoje. A Editora Seguinte preparou um especial com seus parceiros, pedindo que indicassem um blog não parceiro para resenhar Laços de Sangue. O Tiago, do blog O Capítulo do Livro, me indicou e eu fiquei muito (muito, muito, muito²³³²³²) feliz.
Começo essa resenha com uma confissão (e uma vergonha imensa em admitir isso): meu primeiro contato com a escrita de Richelle Mead e a série Academia de Vampiros foi com esse spin-off. Eu me encantei com a escrita da autora, a narrativa fluiu com tamanha leveza que foi um livro de poucos dias de leitura, apesar do número significativo de páginas.
Em alguns momentos tive vontade de entrar nas páginas e estapear Sydney, porque ela conseguia me irritar com algumas ações suas. Sydney é toda centrada, séria, e pela descrição eu pude perceber que se veste com cores básicas. Mas ao longo da história ela se mostrou uma personagem extremamente forte e, mesmo que sua formação como alquimista já estivesse completa, ela tinha pouca experiência em conviver socialmente com outras pessoas.


Jill foi outra personagem que me irritou ao extremo, mas que com o tempo eu acabei me afeiçoando, ela consegue fazer uma tempestade em copo d’água (literalmente), mas também é doce. Um personagem que não tenho crítica nenhuma é Adrian, me encantou desde o início com seu jeito sarcástico e suas implicâncias com Sydney.
Agora preciso compartilhar com vocês todo o meu amor por Sydrian (para quem não sabe, é o shipp de Sydney e Adrian). A cada cena entre os dois, eu ficava mais apaixonada por eles, os personagens possuem uma química maravilhosa. Ao mesmo tempo em que Sydney é totalmente pé no chão, Adrian é seu oposto. Sem palavras para descrever o tanto de vezes que os dois conseguiram me tirar o fôlego (ou fazer meu coração de leitora desesperada acelerar).

Cenas do tipo: OMG, OMG, OMG!!
A história tem todos os elementos necessários para prender a atenção, narrativa fluída e simples, uma boa linha de pensamento e, acima de tudo, a dose certa de humor, romance e mistério. Imaginei mil teorias sobre o responsável pelas tatuagens, mas nenhuma delas foi verdadeira. A mesma coisa sobre um mistério a parte, que acontece durante o desenrolar do livro, e que é revelada no final. Essa última revelação foi como um tapa na cara (daqueles bem dados) na minha pessoa, pois eu nunca imaginaria que algo daquela forma acontecesse. E eu fiquei bem assim com o final:




A leitura de Laços de Sangue foi uma surpresa agradável, envolvendo todos os elementos que fazem com que eu me apaixone por um livro. A diagramação da editora Seguinte ficou muito boa, a capa é maravilhosa e no início de cada capítulo vem uma rosa (com espinhos, rs) embaixo do número.