8 de abril de 2014

[Resenha] O Último Ponto - Edson Monteiro

Autor(a): Edson Monteiro
Editora: Novo Século - Selo Novos Talentos da Literatura Brasileira
ISBN: 9788542801033
Páginas: 144
Ano: 2013
Skoob
Avaliação: 5/5 + ♥

Sinopse: Orquestras, bailes, danças, jogos. Este ciclo já faz parte da incrível jornada do brasileiro Juan Carlo, e da do argentino Jean Lucka. Ainda mais quando os dois, após terem ganhado um bom dinheiro em um cassino de Buenos Aires, acabam parando em um transatlântico que parte da capital portenha em direção à Barcelona. Porém, durante esta tumultuada viagem, que parece ter surgido por força do destino, acabam descobrindo que amam a mesma mulher. É o que faltava para protagonizarem um duelo entre razão (Jean) e a emoção (Juan)! E eis que essas duas naturezas opostas resolvem travar uma disputa inteligente, que poderá marcar a vida deles para sempre. Quem sairá vencedor deste triângulo amoroso? E a quem Katharine entregará seu legítimo amor?

Uma mulher, dois homens e uma disputa pelo coração dela. De início pode parecer algo batido, mas engana-se quem pensa isso. A profundidade encontrada nas poucas páginas de O Último Ponto é maravilhosa e ao mesmo tempo assustadora.

Afinal, apaixonar-se não é fácil, fazer escolhas mudam tudo ao seu redor e é disso que o livro se trata. Katharine é o ponto de equilíbrio entre Juan Carlo e Jean Lucka, de um lado a emoção, do outro a razão, e a decisão final, a escolha pode mudar tudo isso.

Cada um, Juan e Jean, possuem suas particularidades, enquanto um quer viver a vida intensamente, sem se preocupar com o futuro, o outro tem tudo planejado. Essa combinação, o encontro de duas pessoas tão diferentes, poderia não funcionar, mas é isso que une os dois amigos. Só que toda balança precisa de uma base e é onde entra Katharine.

É inevitável escolher um lado, durante a leitura me senti da mesma forma que Katharine, pendendo ora para um lado, ora para outro. Por fim, cheguei à conclusão de que, apesar de todas as vertentes, não havia uma escolha exata. Todos precisamos de razão e emoção, todos precisamos viver intensamente e, ao mesmo tempo, planejar.

E é isso que torna este livro cruelmente real, o conhecimento de que às vezes é preciso abrir mão de algo para se encontrar no futuro. A incerteza da escolha e o peso que elas criam em nossa vida estão presentes na história. É real, é duro e é incrível. O livro é uma descoberta de nós mesmos e uma análise das nossas escolhas, de tudo o que elas geram. A leitura terminou de uma forma tristemente bela, o choque de realidade foi grande e no fim de tudo foi inovador, maravilhoso.

O Último Ponto foi um livro que me tocou de muitas maneiras, me marcou e me mudou. Foi uma leitura extremamente proveitosa e não me arrependo, nem por um momento, de não ter escolhido um lado.