9 de maio de 2014

[Resenha] Vinte Garotos no Verão - Sarah Ockler

Autor(a): Sarah Ockler
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581633657
Páginas: 288
Tradutor: Edson Rochedo
Ano: 2014
Avaliação: 4/5 + ♥

Sinopse: Vinte Garotos no Verão conta a história de Anna, Frankie e Matt. Os três são amigos de infância, Matt é irmão de Frankie, e Anna é apaixonada por Matt desde os 10 anos, só que esse era um dos muitos segredos que Anna carrega. No seu aniversário de 15 anos, finalmente Matt beija Anna. Parecia que tudo iria entrar nos eixos, mesmo que Frankie ainda não soubesse do romance que se desenrolava entre o irmão e a melhor amiga. Até que um acidente inesperado acontece e tudo o que era conhecido e seguro muda tudo. Um ano após a morte de Matt (e isso não é spoiler, ok?), Anna e Frankie planejam sua viagem à Zanzibar, que era feita sempre pelos pais de Frankie e Matt. A viagem poderia ser simples, mas as lembranças de Matt estão lá, seriam Anna e Frankie capazes de superar o passado?

É estranho pensar em como certos livros chegam na hora certa. Muito se falava de Vinte Garotos no Verão, mas eu não tinha tanto interesse nele, não sei explicar. Eis que terminei uma leitura que não me agradou, precisava de algo leve e o Marcos Tavares (do blog Capa &Título) tinha lido Vinte Garotos e disse que era legal. Encarei a leitura sem muitas expectativas, a sinopse me parecia muito vazia, duas garotas na praia querendo “pegar geral”, sabe? E olha, foi como se duas mãos tivessem saído do livro e me estapeassem.

Já nas primeiras páginas fiquei encantada pela história, narrado pelo ponto de vista de Anna, Vinte Garotos no Verão é mais do que uma história boba (ou vazia), como eu havia pensado. Não imaginava que eu poderia chorar tantas vezes lendo um só livro (salvo que nunca li Nicholas Sparks, ok?), mas foi cruel o que aconteceu com Anna e Matt logo no início. Poxa, ele era o primeiro amor da vida dela e de repente, poft, morreu. O impacto que isso causou, acredito eu que foi amplificado por ser do ponto de vista de Anna, mas isso não tira a grandeza do livro. Por outro lado, Anna entra em uma espiral, o garoto que amava acabou de partir, sua amiga mudou muito e o que ela tinha de seguro não está mais lá.

Mas, durante a leitura, nem tudo foram flores e arco-íris. Uma coisa que me incomodou demais (insira aqui um eco com demais, demais, demais) foi o que fizeram com Frankie e sua dificuldade com algumas palavras. Ficou parecendo que forçaram uma situação para deixar a personagem mais dramática e, sinceramente, não tinha necessidade nenhuma. Fora isso, gostei muito da construção dos personagens, em nenhum momento senti que Anna dramatizou demais a situação, pelo contrário, ela foi forte diante de tudo.

A história se passa na maior parte na Califórnia, onde Anna e Frankie protagonizam o “Verão dos Vinte Garotos”. Eu achei muito legal o que a autora fez com a história, o tema tinha tudo para ser drama do início ao fim, mas ela colocou tudo de uma forma leve, que não ficou cansativa. Sim, eu chorei muito durante a história, porque ela emociona, mas também ri de verdade em outras partes. A amizade entre Anna e Frankie é bonita, mas ao mesmo tempo é frágil, isso é mostrado em várias situações, o quanto Frankie faz de Anna seu porto seguro.

Vinte Garotos no Verão tinha tudo para ser uma história boba, vazia, mas se mostrou um livro com algo a mais. Ver Anna se libertando dos fantasmas do seu passado, a superação de Frankie, toda a recuperação, foi tudo bem feito, de forma pequena e bonita. É uma daquelas histórias que crescem com o tempo. A autora acertou em cheio trabalhando em cima desse tema, inclusive recomendo mesmo se você não estiver em um momento legal. Ao contrário do que parece, não é uma história triste, mas de sim de superação.