4 de junho de 2014

[Resenha] Amigas Para Sempre - Kristin Hannah

Autor(a): Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412512
Páginas: 448
Tradutor: Cássia Zanon
Ano: 2014
Skoob
Avaliação: 4/5 + ♥

Sinopse: Tully Hart tinha 14 anos, era linda, alegre, popular e invejada por todos. O que ninguém poderia imaginar era o sofrimento que ela vivia dentro de casa: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas costumava desaparecer por longos períodos, deixando a menina aos cuidados da avó. Mas a vida de Tully se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu a garota mais legal do mundo. Kate Mularkey era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully sentir-se parte de sua família. Ao longo de mais de trinta anos de amizade, uma se tornou o porto seguro da outra. Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos. Kate, por sua vez, a ensinou a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena. As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio. Até que algo acontece para abalar a confiança entre elas. Será possível perdoar uma traição de sua melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto salvar.

É difícil começar uma resenha sobre um livro que me emocionou tanto. Amigas Para Sempre tinha tudo para ser mais um livro clichê sobre o cotidiano de duas amigas que hora se amam, hora se odeiam. Mas ele é mais do que isso, a história se transforma a cada virada de página e chegando ao fim eu me peguei pensando (como já pensei tantas outras vezes): por que faz isso comigo, Kristin?

Não acredito em coincidências e acho que não foi por acaso que os caminhos de Tallulah (Tully) e Kate (Katie) Mularkey se cruzaram. Tully vivia uma vida conturbada depois dos abandonos constantes de sua mãe, enquanto Katie tinha uma família no estilo comercial de margarina. A amizade das duas é uma daquelas coisas estranhas que acontecem na vida, quando duas pessoas tão diferentes se encontram e se completam. Acho que, no fundo, essa é a grande beleza do livro.

De início achei que iria odiar a leitura, porque Tully conseguia ser um verdadeiro pé no saco (em muitas situações), e Katie podia incorporar o mimimi em pessoa. Mas depois eu me despi dos pré-conceitos, analisei que mesmo sendo personagens elas não precisam ser perfeitas, o bonito de uma história é quando os personagens se tornam reais, com defeitos, medos e inseguranças. Sempre vai existir alguma pessoa ambiciosa, mas que no fundo morre de medo de perder sua melhor amiga. E sempre vai existir uma pessoa quieta, que parece insegura, mas que possui mais força do que qualquer um poderia acreditar.

Amigas Para Sempre não é, nem de longe, uma leitura fácil. Não questionei abandonar o livro, mas em algumas partes eu tive a necessidade de parar, senão não iria aguentar. A narrativa em terceira pessoa ora foca em Tully, ora foca em Kate, começando pelos anos 70, e mostrando a história de uma amizade fictícia que, querendo ou não, é mais verdadeira que muitas reais por aí. Existe muito drama envolvido, principalmente por parte de Tully, e algumas cenas dispensáveis.

O livro tem o poder te deixar com uma ressaca literária enorme, devido ao peso de toda a sua história. Não é uma história bobinha e engraçadinha de duas melhores amigas, ela é forte e transmite realidade. Kristin Hannah fez um trabalho muito bonito mostrando a evolução da amizade das duas, até mesmo no “rompimento” das duas, foi tudo muito bem construído e marcante.

Nem todos vão gostar do livro como eu gostei, isso é fato, mas eu criei uma conexão com Amigas Para Sempre, a história me tocou e eu quis fazer parte da juventude das duas, ao som de Dancing Queen.