28 de agosto de 2014

[Resenha] A Desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin

Autor(a): Michelle Hodkin
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501098580
Páginas: 378
Tradutor: Mariana Kohnert
Ano: 2013
Skoob
Avaliação: 5/5 + ♥

Sinopse: Um grupo de amigos... Uma tábua ouija... Um presságio de morte. Mara Dyer não estava interessada em mensagens do além. Mas para não estragar a diversão da melhor amiga justo em seu aniversário ela decide embarcar na brincadeira. Apenas para receber um recado de sangue. Parecia uma simples piada de mau gosto... até que todos os presentes com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. O que o grupo estaria fazendo em um prédio condenado? A resposta parece estar perdida na mente pertubada de Mara. Mas depois de sobreviver à traumática experiência é natural que a menina se proteja com uma amnésia seletiva. Afinal, ela perdeu a melhor amiga, o namorado e a irmã do rapaz. Para ajudá-la a superar o trauma a família decide mudar para uma nova cidade, um novo começo. Todos estão empenhados em esquecer. E Mara só quer lembrar. Ainda mais com as alucinações - ou seriam premonições? - Os corpois e o véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la....

Mara Dyer poderia ser uma garota normal, não fosse a tragédia que ela presenciou e que acabou por tirar a vida de sua melhor amiga, seu namorado e a irmã do seu namorado. Agora, ela tem de lidar com um transtorno de estresse pós-traumático, e lutar com todas as suas forças contra a loucura que parece consumi-la a cada dia.

Sempre ouvi a blogosfera em alvoroço por conta da história de Mara Dyer. Quando o lançamento do segundo livro foi anunciado resolvi que era hora de parar de enrolar e: me arrependi imensamente de não ter lido A Desconstrução de Mara Dyer antes. Esqueça tudo o que você pensa sobre o paradoxo loucura/realidade, porque é impossível tentar criar uma conexão entre esses dois conceitos (e obter sucesso).

Eu nunca imaginei que ficaria tão envolvida com a história, sempre que eu ouvia comentários do tipo “você não vai conseguir largar” eu meio que desprezava, afinal, nenhum livro pode ser tão bom assim, certo? Errado! O enredo criado por Michelle Hodkin vai bem além da premissa inicial, a autora consegue fazer com você entre na cabeça de Mara Dyer, que você seja a personagem e, consequentemente, você começa a surtar um pouquinho com ela.

Não sei explicar direito, mas lá para o meio do livro eu comecei a ficar agoniada e inquieta. Quanto mais eu tentava largar a leitura e fazer outras coisas, mais os pensamentos sobre o que aconteceria a seguir inundavam a minha cabeça. O resultado disso tudo foi que, ironicamente, eu não consegui largar o livro.

Os personagens são todos muito bem construídos, a começar por Jamie, que não teve o destaque merecido, mas que me intrigou demais. Porém, não poderia deixar de lado O personagem. Noah tem todo aquele estilo despretensioso, confesso que me irritei com ele no início, mas da mesma forma que Mara tentou se afastar dele e falhou, eu também não consegui. Noah e Mara possuem uma química indescritível, os dois juntos são meio que uma força da natureza que nada parece ser capaz de parar.

Enfim, eu poderia ficar eternamente aqui descrevendo as maravilhas de se desconstruir junto com Mara Dyer, mas prefiro deixar para vocês descobrirem sozinhos. Se você ainda não leu, não perca tempo e vá ler agora. Não vai se arrepender.