17 de novembro de 2014

[Resenha] O Melhor de Mim - Nicholas Sparks

Autor(a): Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413342
Páginas: 272
Tradutor: Fabiano Morais
Ano: 2014
Skoob
Avaliação: 5/5 + ♥

Sinopse: Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre.

Eu nunca tinha lido nada do Sparks, apenas visto alguns filmes (e chorado, obviamente). A primeira coisa que todo mundo comentou quando eu disse que ia ler O Melhor de Mim era que eu ia amar, a segunda era que eu ia chorar. Então, tudo isso aconteceu e muito mais.

Sim, eu comecei o livro com uma expectativa bem alta, mas mesmo assim preferi não me animar tanto, porque vai que né. Consegui finalmente entender todo o frisson que o autor causou na Bienal do RJ em 2013. Porque, de verdade, o cara escreve muito.

O Melhor de Mim poderia ser apenas um livro sobre um garoto pobre que se apaixona pela garota rica, os dois vivem um amor proibido, mas no final ficam felizes para sempre. Só que não é bem assim. Todo esse padrão de romance é desconstruído na trama, o que eu pensei ser óbvio se mostrou totalmente errado. E esse foi um dos mil motivos para ser um livro que eu amei.

Os personagens são muito bem construídos, assim como os diálogos. Em nenhum momento eu senti algo forçado na história, pelo contrário, todas as cenas passam um senso de realidade enorme. Foi dificílimo não me encantar pela história dos dois e torcer por eles, mesmo nos momentos errados.

E aí eu cheguei à parte onde o autor enfia a mão dentro do seu peito e arranca o coração. Fato que fui avisada e provei ser concreto: é impossível não chorar. Foi mais drama do que eu esperava, e isso não quer dizer que tenha sido ruim, e eu fiquei sem chão. Também fiquei com vontade de dar dois tapas no Sparks, e depois abraçar e beijar por conta da história maravilhosa.

Quando terminei O Melhor de Mim fiquei com uma sensação de vazio, acredito que só outros livros do autor poderão preencher esse buraco. Foi incrível entender por mim mesma o tanto que elogiam no autor e tirar isso à prova. Então, se você não leu, leia. Se você já leu, leia de novo. E se você acha que vai ser meloso demais, dramático demais e etc, leia também.