7 de janeiro de 2015

[Resenha] O Cavaleiro de Bronze - Livro I e Livro II - Paullina Simons

Autor(a): Paullina Simons
Editora: Novo Século
ISBN: 9788542800616 (Livro I) / 9788542802351 (Livro II)
Páginas: 504 (Livro I) / 432 (Livro II)
Tradutor: Wladir Dupont (Livro I) / Valter Lellis Siqueira (Livro II)
Ano: 2013/2014
Skoob - Livro I
Skoob - Livro II
Avaliação: 4/5 (Livro I) / 5/5 + ♥ (Livro II)
Os dois volumes da série O Cavaleiro de Bronze foram minhas últimas leituras de 2014. Eu tinha os dois há muito tempo e que arrependimento de não ter lido antes. No primeiro livro somos apresentando a Tatiana Metanova e sua família, moradora de Leningrado, uma pequena cidade na Rússia. A história é ambientada durante a Segunda Guerra Mundial e mostra o romance que surge entre Tatiana e o soldado Alexander.

De início achei que seria uma leitura cansativa, pois a primeira frase do livro era completamente descritiva. Porém, com o passar das páginas eu não conseguia desgrudar do livro. A narrativa demora um pouco para fluir, mas depois eu me vi envolvida de tal forma com os personagens, que foi possível me transportar para dentro do livro.

Por se passar durante a 2ª guerra mundial, a história é bem densa e triste. O romance entre os dois demora a pegar e vem acompanhado de uma pá de clichês, mas isso não o desmerece. Aliás, eu penso que o mesmo foi muito bem desenvolvido, deixando uma abertura para os leitores torcerem pela história, sem forçar a barra.

A leitura é bem emocionante e perto do fim do Livro I eu já estava sofrendo muito. A tragédia que cerca não só a família de Tania, como a de muitas outras que foram prejudicadas é muito dura. Foi bem cruel ler sobre tudo aquilo e me levou a pensar que, mesmo se tratando de ficção, pode ter existido algo assim.
No Livro II – O Portão Dourado, Tatiana ainda não superou os terrores da guerra que ainda assola o país. Eu percebi uma mudança drástica no comportamento e na personalidade da protagonista. Ela deixou de ser a menina sonhadora e se transformou em uma mulher ousada e corajosa e eu gostei muito de como isso foi mostrado.

Já Alexander me irritou profundamente, com seu jeito mandão, machão, entre outros. Entendo que por ser um soldado ele tende a ser mais bruto, mas muitas das suas atitudes (quase todas, na verdade) foram completamente desnecessárias. Enquanto Tatia cresceu e se tornou corajosa, sem deixar de acreditar, tudo o que vi nele foi um homem mimado e machista.

Ao fim da leitura eu fiquei curiosíssima pela continuação, a qual não sei quando irá ser lançada aqui. É uma leitura que nem todos irão gostar, mas indico a quem se interessa um pouco por história e também pelo romance. Vale a pena se entregar a este livro.