29 de junho de 2015

[Resenha] O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase

Autor(a): Loretta Chase
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413991
Páginas: 288
Ano: 2015
Skoob
Avaliação: 4/5 + ♥

Sinopse: Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...
Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.
Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.
Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.

Esse foi, de fato, o primeiro romance de época que li (embora o Tiago discorde). A linguagem é mais rebuscada em relação aos livros que estou acostumada a ler. Por nunca ter tido contato, foi uma leitura cheia de novidades e eu me encantei logo de cara. Eu não conseguia entender o fascínio que esse gênero proporcionava nas pessoas, mas acredito que me iniciar com esse livro foi uma pedida certa. 

A autora trabalhou muito bem no desenvolvimento dos personagens. Jessica é bem evoluída para os padrões da época, notei certos traços do feminino e gostei muito disso. Belzebu faz jus ao apelido, com seu jeito canalha, bronco e (muitas vezes) machista. Existem outros personagens de plano de fundo, que inclusive possuem seus próprios livros, mas a narrativa foca mesmo é no casal e em suas (muitas) brigas.

Uma das coisas que mais gostei na história foi essa briga de cão e gato entre os dois. Não é um romance daqueles que a mocinha beija o chão que o seu par pisa. Muito pelo contrário, Jessica é super decidida e não mede esforços para conseguir o que deseja. Mesmo que para isso ela precise arriscar a sua reputação. Eu gostei muito de como a autora mostrou o amadurecimento de ambos, seja por meio de gestos ou de falas. 

Falando nisso, adorei a forma como Loretta criou um ar de fofoca na cidade. Eita gente pra falar da vida alheia! Mas eu sou do povão e se estivesse lá na época é certo que ia estar fofocando também. Eu gostei muito de como ela utilizou desse argumento para construir toda a trama.

Existem algumas enrolações na história que me incomodaram um bocado, mas nada muito grave para me desanimar. Apesar de Jessica ter a característica de se inserir no meio da homaiada, não vi necessidade de ter toda uma descrição da ida dela à luta, por exemplo. Mas fora isso, o resto do livro é muito bom.

Eu tinha um pé atrás com o gênero por achar que conteria uma gama grande de cenas hot. Mas me enganei redondamente; Existe romance e existe o sexo, mas é tudo na dose certa, sem nenhum exagero. Toda a trama cria um clima de tensão entre os protagonista e eu achei isso ótimo, porque você fica a todo tempo torcendo por eles.

O Príncipe dos Canalhas é parte de uma série, porém a história dos personagens termina nesse livro. É claro que existem algumas pontas soltas, mas não a ponto de existir a necessidade de um outro livro. A narrativa termina muito bem, fazendo jus a tudo o que eu escutei sobre. A diagramação da Arqueiro foi impecável e esse é um dos que entrou para os favoritos do ano.