22 de julho de 2015

[Resenha] Quando Saturno Voltar - Laura Conrado

Autor(a): Laura Conrado
Editora: Globo Livros
ISBN: 9788525060037
Páginas: 248
Ano: 2015
Skoob
Avaliação: 5/5 + ♥

Sinopse: Em seu novo romance, Laura Conrado conta a história de Déborah Zolini, uma jornalista sonhadora e fã de Pablo Neruda que trabalha como assessora de imprensa de um clube de futebol da segunda divisão e namora o médico Sérgio há quatro anos. Ela faz planos de construir uma vida a dois, arrumar um emprego melhor e correr atrás de desejos que ainda não realizou. Só que a vida, ou as estrelas, guardam surpresas para Déborah. Em uma viagem ao Chile, ela encontra uma mulher misteriosa que lhe fala sobre o retorno de Saturno. O planeta, que leva, em média, 29 anos para dar uma volta no sistema solar, voltará à posição em que se encontrava quando a jornalista nasceu. Para quem acredita em astrologia, esse é momento em que as pessoas passam por várias mudanças, que vão prepará-las para encarar o resto de sua vida. Déborah não leva a moça muito a sério, mas pede às estrelas que a ajudem a realizar seus desejos. No entanto, no voo de volta ao Brasil, um encontro inesperado começa a abalar a vida aparentemente certinha da protagonista. Aos poucos, Déborah começa a notar que seu namoro anda meio morno, a falta de reconhecimento no trabalho a incomoda. Ela começa a admitir que não está gostando do rumo que as coisas estão tomando. Será a hora de partir para novos desafios? Trocar aquele relacionamento confortável pelo frio na barriga? Sair de vez da zona de conforto e ver o que acontece? Com uma prosa leve e bem humorada, Laura Conrado criou um romance cativante sobre perseguir os próprios sonhos e a coragem necessária para ser feliz. Leitores que ainda não chegaram ou já passaram pelo retorno de Saturno vão se emocionar com essa história.

Laura Conrado foi uma das primeiras autoras de chick-lit nacional que eu conheci, eu amo as suas histórias e a forma como elas são construídas. Por conta disso comecei Quando Saturno Voltar com as expectativas lá no sistema solar e a autora não me decepcionou. Muito pelo contrário, ouso dizer que este é o melhor livro que ela já escreveu. A escrita amadureceu muito, mas o tom com toques leves de humor e drama permanecem os mesmos.

O livro, narrado em primeira pessoa, conta a história de Déborah, que trabalha como assessora de imprensa de um time da série B em Minas. Em uma das viagens do clube, depois de uma noite regada a vinho, a protagonista conhece Saphira que lhe fala sobre o Retorno de Saturno, uma época onde mudanças significativas ocorrem. Fica claro que a personagem considera tudo aquilo uma besteirinha e não dá a devida atenção, mas as reviravoltas na história mostram que Saturno não estava de brincadeira.

A narrativa foca principalmente nos dramas pessoais de Déborah e seu problema com mudanças. Para ela, ter um namorado e um emprego estável está de bom tamanho. Mas nem sempre o que se planeja acontece e às vezes um ponto fora da reta traçada até o seu final feliz é sempre bem vindo. E é disso que o livro se trata, em como existem mudanças que vem para melhorar. Porque às vezes você passa muito tempo construindo seu castelo de cartas e bem na hora de ajeitar à última, um vento bate e derruba tudo, mostrando que, apesar de todo o tempo que “perdemos” naquilo e todo o cuidado que tivemos, nem tudo é perfeito.

Não se engane ao pensar que é um livro de autoajuda ou esotérico, Saturno e as estrelas estão lá, além de mensagens positivas que levam à reflexão, mas ele é acima de tudo um romance que apresenta problemas reais. E isso é uma das coisas que eu mais gosto na narrativa da Laura. Fugindo aos clichês do gênero, ela consegue ambientar uma história que poderia muito bem acontecer em nossas vidas. A barra não é forçada e os diálogos são naturais, em nenhum momento fiquei com aquela sensação de “por favor, nunca que isso aconteceria de verdade”. Eu simplesmente amo quando um autor consegue criar esse vínculo entre a ficção e a realidade, e passar de uma forma natural.

Quando Saturno Voltar foi como uma brisa leve em meio a um mar turbulento. Mostrou que mudar é preciso e que aceitar as transformações faz parte do crescimento. Foi incrível acompanhar o amadurecimento de Déborah durante a trama. Ela percebeu o quanto é maravilhosa e aprendeu a se amar, e isso foi uma das lições que Laurinha me ensinou com esse livro. A nossa felicidade depende apenas de nossas escolhas e não devemos deixar nada atrapalhar isso. Os problemas existem, mas não é colocando os dos outros à frente dos nossos que as coisas irão melhorar.

Esse foi mais um daqueles que chegou na hora certa, me dando um pequeno tapa de luva e gritando “acorda pra vida, garota”. Ainda sou nova e meu Saturno ainda não voltou, mas modificar o não me agrada sempre é bom. Batalhar pela minha felicidade e aprender a aceitar o que vem para mim, sem reclamar. É meio que uma causa e consequência, um equilíbrio do universo. Foi uma leitura leve, mas ao mesmo tempo reflexiva. E foi tudo o que eu poderia pedir. A minha vontade nesse momento é sair falando para o maior número de pessoas possíveis e colar cartazes pela cidade (mesmo isso sendo proibido): leiam Quando Saturno Voltar, pois vocês não vão se arrepender!