28 de agosto de 2015

[Resenha] Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes

Autor(a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573299
Páginas: 320
Tradutor: Beatriz Horta
Ano: 2013
Skoob
Avaliação: 2/5

Sinopse:  Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Sempre vi muita gente morrendo de amores com Como Eu Era Antes de Você. Em uma das minhas buscas por livros “para morrer de chorar”, esse foi sugerido. Eu já sabia o final porque não consigo fugir de spoilers, mas isso não me atrapalhou. A minha expectativa estava bem alta para a leitura, infelizmente nem tudo foram flores.

Eu “abandonei” o livro por duas vezes, simplesmente não conseguia me conectar com a história e ritmo da narrativa estava me entediando. Tirei um dia para ficar por conta do livro e aí a coisa fluiu. Mas não foi pelo caminho que eu esperava. Narrado em grande parte por Lou, que se mostrou uma narradora bem monótona, a história não me fez cair de amores.

Logo de cara eu já havia sacado que ela ia se apaixonar por Will, que ele ia tentar lutar, mas não ia conseguir fugir e tudo o que acontece em romances clichês. O meu problema maior foi esse, a presença constante de elementos que eu já encontrei em outros tantos livros e a mesma fórmula dramática que o Nicholas Sparks usa nos seus livros. Sim, a autora escreve bem, mas não funcionou para mim.

Falando em Will, eu sinceramente não entendi todo o frisson causado pelo personagem. O cara é extremamente arrogante e egoísta. Tudo bem que ele sofreu um acidente e está tetraplégico, mas acredito que isso não é desculpa para tratar todos mal. Em especial os que estão ao seu lado e gostam dele.

Eu só comecei a ter um sentimento mínimo de afeto com o livro quando Lou consegue tirar Will de seu estupor e tentar fazer com que ele aproveite a vida. Ainda assim, não foi o suficiente para me fazer mudar de opinião com relação à história. Lou e Will não foram um casal que me arrancou suspiros e me fez torcer por eles, ou sofrer, surtar ou chorar.

Cheguei ao fim do livro com uma angústia profunda que nada tinha a ver com o desfecho. A tal carta que todo mundo comenta, dizendo que morreu de chorar, só conseguiu me deixar com uma raiva profunda. Não consigo me expressar sem dar spoilers, então quem quiser saber leia por sua conta e risco aqui.

E é isso, gente. Sei que sou uma pequena porcentagem que não gostou do livro, mas é assim mesmo que a vida é. A opinião vai de cada um, não é um livro que eu indicaria fortemente para todos.