2 de outubro de 2015

[Resenha] A Vingança de Mara Dyer - Mara Dyer #3 - Michelle Hodkin

Autor(a): Michelle Hodkin
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501104649
Páginas: 378
Ano: 2015
Skoob
Avaliação: 4/5 + ♥

Sinopse: A série mescla paranormalidade, conspiração e romance para contar a história de uma adolescente com poderes especiais. Elogiada pelas autoras das séries Divergente e Instrumentos Mortais, Michelle Hodkin cria aqui uma trama surpreendente, onde nada é o que parece. Depois de descobrir que consegue matar apenas com o pensamento, assim como seu namorado é capaz de curar com a mesma facilidade, Mara Dyer é capturada por uma inescrupulosa médica, que a faz passar por uma série de testes e experimentos. Mas Mara não está sozinha. Outros jovens com poderes igualmente extraordinários são usados como cobaia. Com a ajuda deles, e de um velho inimigo, ela consegue fugir e parte em busca de vingança.

"São nossas escolhas que nos definem, não nossas habilidades."
Pode conter spoiler dos livros anteriores.

Minha vontade de ler a trilogia Mara Dyer nasceu daquele costume feio, porém necessário, que eu tenho de julgar uma história pela capa. Só depois de ficar babando por ela é que li a sinopse. Aí não teve mais jeito e eu sabia que começar a trilogia era um caminho sem volta.

No terceiro e último livro, a protagonista explosiva volta em sua melhor forma (ou seria pior?). Torturada, separada da família e presa em algum lugar que ninguém faz ideia do que seja, Mara tem de lutar para manter sua sanidade. E eu também precisei lutar, porque ô mulher pra bagunçar minha mente.

Uma característica marcante da narrativa de Hodkin é a capacidade dela de me fazer ter tiques nervosos com qualquer barulho que seja. Pensei que neste terceiro livro eu já teria me acostumado com as surpresas (que nem sempre eram boas), mas me enganei completamente. Com o ritmo acelerado já conhecido, Mara narra o desfecho da sua história, meio que um ato biográfico.

Foi maravilhoso e, ao mesmo tempo, apavorante acompanhar o final. Eu não esperava me envolver tanto com os personagens, nem sofrer o tanto que sofri. Muitas partes quase me trouxeram a um turbilhão de lágrimas, enquanto outras me fizeram sentir puro asco. A autora não poupou esforços em nos fazer sentir cada torturazinha que a protagonista recebia.

O que eu mais admiro na escrita de Michelle é que ela consegue sair de uma cena completamente tensa, para uma que vem carregada de humor mórbido. Essas pequenas nuances que fizeram a diferença no enredo e muito provavelmente conseguiram fazer com que eu não enlouquecesse junto.

Os personagens secundários, como Jamie e Stella, fizeram muita diferença no enredo. Eu gostei muito de ver como eles descobriam seus "poderes", mesmo que nem sempre fosse algo bom. Outro ponto que foi positivo foram os flashbacks apresentados. As memórias da avó da personagem principal começaram a fazer sentido e no fim de tudo fica claro o que ela era e o legado que deixou para Mara.

Não recomendo que o leitor vá com muita sede ao pote, pensando que irá encontrar cenas exorbitantes de tortura e destruição em massa. Mesmo que o título contenha o termo vingança, é necessário entender que nem tudo é feito fisicamente. Teve uma ou outra parte que me incomodou, além de algumas coisas meio óbvias. No entanto, em sua maioria acredito que o livro apresentou um final digno para a história.

Michelle Hodkin conseguiu finalizar com maestria os principais pontos da história, alguns permaneceram em aberto, mas não deixando uma necessidade extrema de continuação. A Vingança de Mara Dyer veio como um prato cheio de suspense e drama.