26 de dezembro de 2015

[Resenha] Corte de Espinhos e Rosas - Sarah J. Maas

Autor(a): Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501105875
Páginas: 434
Ano: 2015
Skoob
Avaliação: 4/5
Ps.: Tirei a sinopse porque ela contém muito spoiler, leiam por sua conta e risco.

Sou apaixonada por contos de fadas e geralmente amo releituras. Não foi diferente com Corte de Espinhos e Rosas. Ambientado num mundo onde fadas são reais, porém não tão belas quanto as da Disney, o livro apresenta Feyre, que vive num casebre caindo aos pedaços com seu pai e suas irmãs. Após a falência do seu pai, ela começa a caçar animais na floresta para garantir a sua sobrevivência e dos seus familiares. Tudo isso muda quando ela erroneamente mata um lobo que era uma fada transfigurada. Assim, ela é levada para a Corte Primaveril, onde o governante Tamlin e seus subordinados estão presos a uma maldição.

Agora que vocês já conhecem a história, podem perceber a semelhança com A Bela e A Fera, né? Sim, existem muitas referências ao conto, mas a autora conseguiu criar um novo universo durante a narrativa. E isso é o que eu mais gosto nas releituras. Quando são bem feitas, você consegue relacionar com o que foi baseado, mas se encantar pela nova história.

Feyre não é nada como as mocinhas que estamos acostumados, ela não é ingênua e não abaixa a cabeça para ninguém. Sua personalidade forte foi o que mais me chamou atenção, além da sua língua afiada. Por não ter tido nenhuma oportunidade de crescer na vida, ela apresenta algumas dificuldades de leitura, bem como não possuir um discernimento entre sarcasmo.

A autora descreve muito bem os personagens, possibilitando uma visualização deles. Tamlin provavelmente se assemelha a um Deus grego, com uma personalidade super explosiva. Outro personagem que é bem destacado é Lucien, que é meio que um embaixador da Corte.

Obviamente que teria romance na história, mas incrivelmente não é este o foco do livro. O que me deixou muito feliz, pois já vi muitas narrativas com um potencial enorme indo para o ralo por conta da inserção de um romance.

A escrita de Sarah é fluída e fácil, fazendo com que o leitor mergulhe de cabeça na história e não consiga se concentrar em praticamente nada enquanto não chega ao final. Eu somente conhecia o nome da autora por alto, mas resolvi me arriscar neste e não me arrependo.

O desenrolar da história é satisfatório e consegue atar boa parte das pontas soltas. Por ser parte de uma trilogia, algumas coisas terminam em aberto. Eu gostei muito do livro e fiquei curiosa pela outra trilogia da autora, que com certeza irei ler.

Se você, assim como eu, gosta de releituras com um misto de ação e aventura, este é o livro certo para você. Super recomendo.