24 de março de 2016

[Resenha] Nunca Jamais - Never Never #1 - Colleen Hoover & Tarryn Fisher

Autoras: Colleen Hoover; Tarryn Fisher
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501106216
Páginas: 192
Ano: 2016
Skoob
Avaliação: 5/5 + ♥

Sinopse: Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar.
Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado.

Já conheço muito bem a escrita da Colleen e sei como ela pode te levar da alegria extrema para a depressão profunda em menos de um minuto. Não conhecia a de Tarryn, mas gostei muito do que li.

A narrativa é em primeira pessoa pelo ponto de vista de ambos os protagonistas. E isso que fez com que eu gostasse mais do livro. Porque tornou possível embarcar na confusão mental dos dois e começar a questionar tudo. E isso é o que mais ocorre durante a trama.

O livro tem uma carga emocional muito grande, mas não é no estilo de fazer você morrer de chorar. Nesse caso, era como se sempre tivesse alguém à espreita, te observando por trás do ombro sem que você notasse. Sabe aquelas cenas de filme que tem alguém seguindo a pessoa, e essa percebe, mas quando olha não tem ninguém? Foi essa a sensação que tive durante a leitura.

Com menos de 200 páginas, muitos podem achar que é um enredo corrido e cheio de buracos. De fato existem muitas pontas soltas, mas não achei corrido, pelo contrário, eu queria mais. Gostei de ir descobrindo e unindo as peças junto com Charlie e Silas.

Falando nisso, nesse livro o foco é 99% neles, e mesmo que eu goste da construção de personagens secundários, gostei de não ter acontecido isso aqui. A perda de memória fez com que os mesmos reavaliassem toda a sua vida, meio que sendo uma segunda chance de mudar os costumes, antes que fosse tarde demais. Não tem como falar muito sobre a personalidade deles, pois poderia soltar algum spoiler involuntário e isso seria imperdoável (neste caso).

Mesmo se passando no Ensino Médio, a narrativa apresenta um tom bem mais sério do que os YA's que estava acostumada. E eu gostei bastante disso, pois não senti que foi algo forçado no estilo "estamos escrevendo para jovens, então temos que usar a linguagem deles". Isso foi um dos pontos mais positivos da leitura, sem contar que menos sempre é mais.

Não pense que por ser uma história curta existam poucas pistas. Muito pelo contrário, acredito que absolutamente tudo seja importante. Até mesmo um papel de bala, por exemplo. Eu sou apaixonada por livros que são escritos dessa forma, pois eles praticamente me transformam numa detetive (tenho PhD em procurar pistas por conta das 6 temporadas de Pretty Little Liars) e eu fico eufórica quando acerto alguma suposição.

O livro termina com um cliffhanger ENORME (em caps e negrito porque é bem assim) e eu fiquei desesperada querendo a continuação. Se você, assim como eu, é louco por suspense, um cado de amor e muito, mas muito nó na cabeça, então Nunca Jamais é um prato cheio para você. A leitura fluiu bem facilmente e quando eu percebi já estava meio louco (tipo Charlie e Silas).

Ps.: Não gostei da tradução do título, podia ter sido Never Never mesmo. rs