8 de setembro de 2016

[Resenha] George - Alex Gino

Autor(a): Alex Gino
Editora: Galera Júnior
ISBN: 9788501077677
Páginas: 144
Ano: 2016
Skoob
Avaliação: 5/5 + ♥

Sinopse: Quando as pessoas olham para George, acham que veem um menino. Mas ela sabe que não é um menino. Sabe que é menina.
George acha que terá que guardar esse segredo para sempre: ser uma menina presa em um corpo de menino. Até que sua professora anuncia que a turma irá encenar “A menina e o porquinho”, e George quer MUITO ser Charlotte, a aranha e protagonista da peça. Mas a professora diz que ela nem pode tentar o papel porque... é um menino.
Com a ajuda de Kelly, sua melhor amiga, George elabora um plano. E depois que executá-lo todos saberão que ela pode ser Charlotte — e entenderão quem ela é de verdade também.

Desde o início fiquei curiosa sobre a história de George e assim que ele foi liberado para solicitação, não perdi tempo. Primeiro me encantei pela capa minimalista, mas meu coração se encheu de amor mesmo com a protagonista.

George tem 10 anos e esta é uma fase enorme de mudanças. É onde as crianças começam a descobrir a diferença entre certo e errado, bom e ruim, e principalmente, descobrem quem são. Toda a narrativa mostra com delicadeza como George sabe que é menina, mesmo que tenha nascido no corpo de um menino. Porém ela também sabe que nem todos irão aceitá-la a seu modo e acha que tem que viver com esse segredo.

A trama se desenrola ao redor da encenação de "A menina e o porquinho". Para quem não conhece a história:

Quando Fern Arable percebe que seu pai tem planos para matar os filhotes de um porco, com sucesso convence-lhe que não. Ele dá um porco para Fern, que o chama de Wilbur e o coloca como um animal de estimação. Mas, quando Wilbur se torna um adulto, Fern é obrigada a levá-lo para a fazenda Zuckerman, onde ele será preparado para um jantar.
Charlotte é uma aranha que vive acima da pocilga onde Wilbur vive, eles se tornam amigos e ela decide ajudar a evitar ser comido. Com a ajuda de outros animais do celeiro, incluindo um rato chamado Templeton, Charlotte tentou convencer a família que Wilbur é um animal especial.
 A personagem favorita de George é Charlotte e quando ele se apresenta para a professora com as falas da aranha, nem tudo sai como planejado. Isso porque, segundo a professora, ele é um menino.

Do início até essa parte eu já tinha segurado o choro várias vezes, mas dessa vez não deu. Ver como essa fala da professora afetou a personagem doeu em mim. Foi a primeira demonstração, de muitas que o livro traz, sobre como é difícil que os outros te vejam como você é de verdade.

George é uma personagem incrível, e acredito que todos nós temos muito o que aprender com ela. Ela é transgênera, mas isso não a torna anormal. Assim como toda criança nessa idade, ela tem as suas diversões. Toda a escrita de Alex tem uma sensibilidade ótima, que mostra tudo de forma bem delicada e detalhista.

O livro fala muito de empatia, sabe? E traz esse sentimento a quem está lendo também. Em vários momentos eu só queria estar lá para falar para George que tudo ia se ajeitar, que apesar das coisas que ruins, estão ocorrendo mudanças e que ela não precisaria mais se esconder.

Foi uma leitura linda, mas ao mesmo tempo doeu. E não foi pouco. Principalmente por saber que muita gente ainda tem um pensamento retrógrado e que julgariam a protagonista como anormal. Isso é retratado no personagem Jeff, e existem muitos como ele por aí. Mas ao mesmo tempo, histórias assim me dão esperança. De que estão ocorrendo mudanças sim, e que o mundo está caminhando a passos de se mostrar merecedor de crianças como George.

Não existe idade para ler George, nem gênero, nem nada. O único requisito é ter o coração aberto e preparado para receber todo esse amor em formato de livro. É um daqueles que todos deveriam ler. ♥