24 de abril de 2017

[Resenha] A história do futuro de Gloryu O'Brien - A.S. King

Autor(a): A.S. King
Editora: Gutenberg
ISBN: 9788582354346
Páginas: 240
Ano: 2017
Skoob
Avaliação: 3/5

Sinopse: O fim do ensino médio é uma época de possibilidades infinitas – mas não para Glory O’Brien, uma jovem norte-americana que não tem nenhum plano para o futuro. Sua mãe cometeu suicídio quando Glory tinha apenas 4 anos, e ela nunca parou de se perguntar se seguiria o mesmo caminho… Até que numa noite transformadora ela começa a experimentar um novo e surpreendente poder que lhe permite enxergar o passado e o futuro das pessoas.
De antepassados a muitas gerações futuras, a jovem é bombardeada com visões – e o que ela vê pela frente é aterrorizante: um novo líder tirânico toma o poder e levanta um exército. Os direitos das mulheres desaparecem. Uma violenta segunda guerra civil explode. Jovens garotas somem diariamente, vendidas ou confinadas em campos de concentração.
Sem saber o que fazer, Glory decide registrar todas as suas visões, na esperança de que a sua História do Futuro sirva de alerta e evite o que vem por aí.
Mas será que as pessoas vão acreditar nela? Será que estarão dispostas a fazer o que é necessário para impedir a concretização daquele destino medonho?
Nesta obra-prima sobre feminismo, liberdade e escolhas, A. S. King mais uma vez nos brinda com seu realismo fantástico para contar a história de uma garota que tenta lidar com uma perda devastadora.

Oi, pessoal! A Editora Gutenberg entrou em contato com o blog oferecendo a cortesia de A história do futuro de Glory O'Brien e como eu amei Os dois mundos de Astrid Jones resolvi me jogar na leitura.

Achei a sinopse super interessante, afinal sou apaixonada por viagens no tempo e tal. O problema é que a condução da história não me agradou muito. Glory apresenta claros sinais de ter sido afetada pelo suicídio da sua mãe, o que é óbvio. Ela é muito introspectiva e a narrativa em primeira pessoa leva o leitor a perceber os sentimentos que ela tem de tristeza e melancolia. Isso foi um ponto positivo na construção da personagem.

Por outro lado, a coadjuvante de Glory, Ellie, me irritou demais. Ela é bem diferente de Glory, foi criada numa comunidade hippie e estudou em casa. O meu maior problema com ela foi a necessidade que ela tem em sempre estar certa, em sempre saber de tudo. E aí ela meio que menospreza Glory e a amizade que as duas tem.

Como disse anteriormente, o plot é muito interessante. As visões que Glory tem são muito diferentes das de Ellie, que nem tem muita importância no contexto geral, para ser sincera. O futuro, principalmente, é muito assustador e o pior: é crível. A autora conseguiu criar um universo onde as visões futurísticas realmente podem acontecer. É só a gente parar para analisar as notícias que nos cercam. São as guerras civis, os muitos crimes passionais e isso tudo no livro ganha uma proporção medonha e nisso a autora acertou em cheio.

Eu demorei muito a conseguir encontrar um ritmo bom para a leitura, porque a maior parte da leitura, para mim, foi arrastada. Somente quando Glory começa a tomar atitudes sobre as visões, a confrontar os seus problemas é que comecei a me envolver de verdade. E mesmo assim, no geral não foi tão proveitoso quanto o primeiro livro que li dela.

No geral, o livro é bom, levanta várias questões importantes que devem sim ser debatidas. O único ponto que me incomodou mesmo foi a forma como as cenas foram descritas, achei tudo meio parado e isso não favoreceu para o meu ritmo.

Obviamente que eu recomendo o livro, pois toda a discussão que ele levanta é importantíssima. E mesmo que eu não tenha gostado tanto, é um que merece ser lido.


Até a próxima!